sexta-feira, março 31, 2017

MILO MANARA - X-WOMEN


X-WOMEN
EDIÇÃO DEFINITIVA HQ POINT
Apresentando a versão em preto e branco (HQ Point) e a colorida 
(Panini) + versão colorida sem balões e recordatórios.

DOWNLOAD


Faz um bom tempo que revistas de super-heróis deixaram de ser a minha aquisição principal. Hoje dou preferência para revistas europeias, terror, ficção-científica e eróticas. Quando muito, no ramo dos super-heróis,  compro alguma publicação com arco fechado (“one shot”), uma graphic ou a republicação em formato coletânea de alguma fase antiga.

O gênero caiu em uma mesmice de dar medo. Já não tem o que inventar e quando criam algo novo, é de cair os cabelos. Geralmente são fatos absurdos... eu diria que até mesmo impensáveis e inaceitáveis para um leitor que tenha sã consciência.

Versão italiana, sem nenhum diálogo.

Já não bastava um personagem ter três, ou até mesmo cinco revistas diferentes, e o leitor ter que engolir que “tal editora” queria nos convencer de que em suas histórias havia um universo coeso. Mas isso é o de menos. Duro mesmo é ter que aguentar mortes e renascimentos consecutivos, que os fatos acontecidos anteriormente não eram aquilo que você imaginou, ou que aquele personagem que você viu por anos na verdade não era o verdadeiro e sim um clone.

E olha que sou da época da Bloch, que fazia absurdos com as revistas da Marvel, e também passei pela fase da Editora Abril, com seus cortes e adaptações que faziam com que nós, leitores que acompanhávamos as publicações fazendo comparações com as originais americanas, ter início de enfarto a cada edição lida.

Página com diálogos em português, que segue a versão americana.

Definitivamente, o gênero super-heróis se esgotou.

Apesar de tudo, acompanho tudo que sai dando uma folheada nas revistas e lendo sobre tudo que está acontecendo. Isso me ajuda a não “ficar por fora” do que está se passando com cada personagem, ainda mais agora com essa onda de adaptações cinematográficas.

Talvez tudo isso seja consequência da idade que avança a cada ano. Provavelmente esteja me tornando um cara ranzinza e reclamão. Foda-se! Não sou obrigado a engolir qualquer coisa que queiram me empurrar goela abaixo.

Com a chegada da Panini no Brasil, pensei que nunca mais eu iria me decepcionar ao comparar as revistas lançadas aqui com as originais. Ao fazer a diagramação da X-Women, desenhada pelo inigualável Milo Manara, voltei a ter aquele “início de enfarto”.

Página em português, seguindo a versão italiana.

Como a arte de Manara é melhor se apreciada em preto e branco, decidi que faria a diagramação da versão italiana, que é em preto e branco, utilizando a edição lançada aqui no Brasil para preencher os balões. Logo de cara notei uma grande diferença entre o texto italiano e o nosso. Balões inteiros foram apagados e outros acrescentados sem a menor necessidade (na página 37 deixei dois balões em branco, que não aparecem na edição americana, só para ilustrar o que estou dizendo). A arte expressiva de Manara já dizia o que estava acontecendo, mas algum ‘espírito de porco’ optou por acrescentar ali alguns diálogos.

Gírias ridículas foram utilizadas na nossa versão e me fez lembrar das publicações da editora Bloch. Lembranças que eu gostaria de esquecer.

O texto italiano é muito mais extenso e rico, sem as malditas gírias.

Página em português, seguindo a versão americana.
Notem para o balão do quarto quadro, cobrindo as personagens.
O balão não existe na versão italiana e foi acrescentado na versão 
americana. Será que não dava pra eles pelo menos terem 
colocado o balão ao lado das personagens?

Fui obrigado a conseguir a versão americana, para tentar entender o que estava acontecendo. Eu não podia acreditar que tradutor da edição brasileira (Mario Luiz C. Barroso) tivesse feito tamanha loucura. Foi então que notei que ele havia seguido a edição americana, que no meu ponto de vista é bem inferior à italiana. O pior de tudo é que até hoje não vi comentário algum sobre essa diferença entre as edições americana e italiana.

Observem o balão do último quadro e comparem
com a versão americana (abaixo)...

Ao fazer a edição em preto e branco fui obrigado a fazer algumas adaptações para encaixar os balões, fazendo em alguns momentos uso de alguns diálogos italianos, que no meu ponto de vista eram importantes para as cenas. Talvez isto tenha contribuído para tornar a edição ainda menos aceitável... mas fiz. Afinal de contas, o download é gratuito e você só perderá um pouco do seu tempo.



Se você sabe de algum detalhe a mais sobre os problemas aqui relatados, deixe seu comentário na postagem. Ajude-nos a entender um pouco mais essa bagaça.

2 comentários: