sexta-feira, janeiro 12, 2018

DIVULGAÇÃO


(não disponível em scan)
Você pode adquirir seu exemplar em Amazon.com.br (ou em livrarias especializadas)
Vale muito a pena!!!!

INTRODUÇÃO

OPEN BAR é uma daquelas histórias que me lembra por que eu amo quadrinhos. Quando penso que quadrinhos são apenas super-heróis, ficção científica ou fantasias épicas, eu leio um livro como esse e sorrio, porque ele é simplesmente sobre amizade.

Numa indústria cheia de “projetos inovadores” e “ideias mirabolantes”, às vezes tudo o que precisamos é uma história sobre dois amigos tentando abrir um bar e seguindo com suas vidas. Isso não é algo do tipo “Batman, só que no espaço!” ou “Godzzilla na terra dos Smurfs!”. São dois caras lidando com a vida, do jeito que ela é, e nós podemos ver um pedacinho disso. E é simplesmente maravilhoso.

Eduardo consegue dar vida a esses personagens tão bem que, depois de ler algumas poucas páginas, temos a impressão de que eles sempre existiram. Como se Barba e Leo estivessem por aí muito antes de Eduardo decidir mostrar que eles estavam lá. História e arte funcionam tão bem juntas que nem percebemos que isso foi criado por alguém. Sentimos que eles simplesmente existem. São reais.

Quer saber? Eu já nem gosto mais do Eduardo Medeiros porque ele é muito bom. Ele precisa ser parado. Por favor, devolva esse livro. Se não pararmos ele agora, ele vai dominar o mundo e não vai sobrar mais nada para os caras como eu.

Ok. Esquece. Fique com o livro. Ame esse livro. Compre uma cópia extra. Entre em seu bar favorito e deixe lá, em cima do balcão para que alguém mais o descubra.

- Skottie Young
Peoria, Illinois, setembro de 2017.



PREFÁCIO

Leonardo e Barba são grandes amigos, se conhecem há muitos anos e passaram por muitas coisas juntos. Podiam também ser seus amigos, meus amigos, podiam ser mais que personagens em uma história em quadrinhos.

Logo nas primeiras páginas, falando sempre abertamente sobre seus problemas e alegrias, eles passam essa sensação de cumplicidade, não precisam se explicar o tempo todo. Eles estão tocando a vida e você não está lendo sobre isso. Você está com eles, vivendo.

Você não precisa ser gaúcho e nem morar em Florianópolis para gostar imediatamente dessa história. Aliás, esse é o grande talento do Edu: criar personagens carismáticos e humanos, cheios de personalidade. Com uma inteligente narrativa que vai e volta no tempo, ele está sempre tratando de temas sensíveis, mas com uma sutileza disfarçada de piada e com seu desenho limpo e estilizado. Ah, que desenho mais foda. Parece simples, parece fácil, mas é muito bom. Conta tudo.

É ótimo reconhecer o trabalho do Edu pela primeira vez, é como fazer uma nova amizade. Quando você terminar o livro, vai sentir aquela angústia feliz de quem não vê a hora de ver seu novo amigo novamente.

- Gabriel Bá
São Paulo, setembro de 2015. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário